#htmlcaption1 Deus, força e luz O evangelho ensinado e vivenciado ha 99 anos

domingo, 2 de março de 2014

MATERIALISMO E ESPIRITISMO
















O HOMEM QUER SER FELIZ: ISTO ESTÁ EM SUA NATUREZA

“Precisamos crescer para vencer os obstáculos.”

Se elevarmos o nosso pensamento acima das coisas materiais, seremos menos magoados pelas coisas da Terra.

O Homem pode começar a ser feliz ainda neste mundo através do Espiritismo. Ele torna felizes aqueles que o compreendem. Mesmo que não haja testemunhado nenhum fenômeno material de manifestação dirá: “Além dos fenômenos há uma filosofia; esta filosofia explica-me aquilo que nenhuma outra me havia explicado. Pelo simples raciocínio encontro uma demonstração racional dos problemas que interessam ao futuro no mais alto grau; ela me proporciona calma, segurança, confiança; livra-me do tormento da incerteza”. Ao lado disto a questão dos fatos materiais é de importância secundária.

ESPIRITISMO E MATERIALISMO: EM QUE DIFEREM?



MATERIALISMO

O Materialismo é a doutrina que defende que todos os fenômenos (naturais, sociais e mentais) são explicáveis pela matéria ou pelas condições materiais. Uma doutrina que consistindo na negação do futuro, que compensação oferece aos sofrimentos terrenos? Apoia-se na incredulidade.

É uma atitude de procura exclusiva de bens e prazeres materiais. Oferece o nada como perspectiva e o egoísmo como consolação.

ESPIRITISMO

O Espiritismo é a doutrina fundada na crença da existência dos Espíritos e da sua comunicação com os homens.

O Espiritismo é forte porque se apoia sobre as mesmas bases da religião: Deus, a alma, as penas e recompensas futuras; porque, sobretudo, mostra essas penas e essas recompensas como consequências naturais da vida terrena e que nada, no quadro que oferece do futuro, pode ser contestado pelo mais exigente raciocínio.

Ele se apoia na confiança em Deus e convida os homens à felicidade, à esperança, à verdadeira fraternidade.

CONCLUSÃO FINAL

O Espiritismo tudo explica e tudo prova pelos fatos. O Materialismo nada explica e nada prova.

A sua intenção não é a de submeter o Mal, mas sim, a de convencê-lo a respeito da transitoriedade de tudo o que se opõe à ordem natural das coisas.

Observação:

Se todos os miseráveis fossem socorridos, a miséria se extinguiria; se todos os ignorantes fossem educados, a treva não teria razão de ser; se todos os delinquentes fossem amparados oferecendo-lhes estímulos à luta regenerativa, o crime seria varrido da face da Terra.

“Contra a vontade de Deus não prevalecerá a má vontade dos homens.”

Por: Fórum Espírita

0 comentários:

Postar um comentário