#htmlcaption1 Deus, força e luz O evangelho ensinado e vivenciado ha 99 anos

quarta-feira, 5 de março de 2014

O BRASIL BRILHA NO COSMO EM EXPLOSÕES DE LUZ!












 AS CRIANÇAS VOLTARÃO A BRINCAR

     
O progresso material, físico e espiritual da humanidade está submetido à uma lei universal e irreversível sob a qual o espírito humano é induzido a alcançar o seu mais elevado destino que é a perfeição.
    Nesse processo infalível, as coletividades passam por diversos períodos de aprendizado compatíveis com o grau evolutivo dos espíritos que as compõem. Nesse contexto, cada país representa um grupo evolutivo, ou seja, uma sala de aula oferecendo lições compatíveis com o grau de evolução dos seus componentes.
    Cada uma dessas salas de aula estão agregadas a uma escola maior que são as regiões compostas pelos países que mantém uma razoável homogenia espiritual, com pequenas diferenças evolutivas. A medida que os componentes desses grupos mesmo quando ainda encarnados completam o tempo de aprendizado em suas respectivas salas de aula, migram para outras condizentes com às suas necessidades evolutivas e expiatórias.


Da mesma forma os espíritos ao reencarnarem buscam as salas de aulas que lhe ofereçam os devidos recursos de aprimoramento segundo as leis do merecimento.
    Embora, no mundo espiritual as questões de raça desapareçam e os espíritos são separados em planos vibratórios e não mais por regiões. No plano físico, esse processo justifica o porquê da existência das várias raças e países que separam as coletividades através das fronteiras territoriais.
    A cada ciclo evolutivo no decorrer dos séculos e dos milênios, cada uma delas ofereceu aos espíritos reencarnantes um tipo específico de aprendizado calcado na cultura e nos costumes predominantes de cada região e de cada época. É nessa transmigração regional que os espíritos evoluíram e evoluem na Terra vivendo valiosas oportunidades, ora encarnados no Oriente, ora no Ocidente. Através do tempo, esse processo foi selecionando e concentrando as massas afins nos pontos estratégicos para facilitar o remanejamento universal da humanidade.
    A Terra, embora tenha sido a mãe pródiga e generosa suportando as agressões a cada geração dos seus habitantes, neste final de século, com a entrada do terceiro milênio, tudo indica que deverá completar seu ciclo evolutivo na condição de planeta de expiação e de prova, conseqüentemente o remanejamento da humanidade terá que ser efetivado.
    Muitos companheiros que engrossam as fileiras espíritas, pregam que esse remanejamento será realizado de forma lenta e imperceptível até que, aos poucos, os maus sejam substituídos pela encarnação dos bons, culminando com devido saneamento planetário. Alguns vão mais longe e afirmam que as crianças nascidas a partir dos meados dos anos oitenta e nos anos noventa já são os espíritos bons que predominarão na Terra no futuro.
    Analisando o comportamento da maioria dessas crianças e o descaso da maioria dos pais na educação delas, percebe-se que os nossos companheiros estão excessivamente otimistas.
     Na Revista Espírita, editada por Kardec em outubro de 1866, ele publicou sob o título "As instruções dos espíritos sobre a regeneração da humanidade", informações que foram recebidas em abril do mesmo ano, em sonambulismo, pelos médiuns denominados como Srs.: M. e T., onde os espíritos falam do remanejamento da humanidade. Referindo-se à transformação moral da humanidade, eles informaram o seguinte:
    "Quando essa melhora for isolada e individual, passará inapercebida e não terá influência ostensiva no mundo. O efeito será outro quando for operada simultaneamente em grandes massas. Porém, então, conforme as proporções, em uma geração as idéias de um povo ou de uma raça poderão ser profundamente modificadas.
      É o que se nota quase sempre depois dos grandes abalos que dizimam populações. Os flagelos destruidores só destroem o corpo; mas não atingem o espírito; ativam o movimento de vai-e-vem entre o mundo corporal e o mundo espiritual e, em conseqüência do movimento progressivo dos espíritos encarnados e desencarnados.
      É um desses movimentos gerais que se opera neste momento, e que deve determinar o remanejamento da humanidade. A multiplicidade das causas de destruição é um sinal característico dos tempos, pois estes devem apressar o surgimento dos novos germes...
     Para o materialista, os flagelos destruidores são calamidades sem compensação, sem resultados úteis, pois que, segundo ele aniquilam os seres sem retorno. Mas para o que sabe que a morte apenas destrói o envoltório, eles têm as mesmas conseqüências e não lhe causam o menor pavor, porque compreende o seu objetivo e sabe também que os homens não perdem mais morrendo em conjunto do que isoladamente, desde que, de um ou de outro modo, é preciso sempre lá chegar."

    Quando os espíritos afirmaram sobre a multiplicidade das causas de destruições, eles sabiam que no curso de mais algumas décadas o homem iniciaria uma corrida armamentista que culminaria em um incomensurável poder de destruição. Sem contar os efeitos dos desequilíbrios morais que através dos séculos plasmaram uma virose astral que vem se corporificando a cada geração culminando com doenças irreversíveis que desafiam a ciência contemporânea.
    Não é preciso ser um profeta ou um adivinho para saber como se desencadeará esse processo. Com o conhecimento das leis de causa e efeito, basta dar uma analisada no panorama que nos apresenta as diversas escolas e suas respectivas salas de aula e vamos descobrir de onde partirão as grandes massas reprovadas e de que forma.
    Antes de uma análise apressada, devemos entender que o status evolutivo das regiões e dos países que as compõem, não pode ser medido apenas pelo avanço cultural, científico, tecnológico ou econômico, mas sim e principalmente pelos pensamentos e pelos sentimentos que cultiva a maioria dos seus habitantes.
    Na Ásia, assistimos a predominância do fanatismo religioso e do despotismo promovendo a violência e a morte; na Europa e na América do Norte sob a égide do egoísmo humano, temos a predominância do capitalismo selvagem que neste final de século e de milênio, assumiu definitivamente o trono da "Besta do Apocalipse" disseminando a fome e alimentando as guerras no mundo. Esse é um quadro parcial mas o mais grave de todos, cujo final já está plasmado no éter em poderosas egrégoras emanadas do pensamento e do sentimento coletivo dessas coletividades. Segundo a lei de causa e efeito, essas regiões experimentarão os amargores da destruição, tornando-se vítimas de si mesmas.
    Nessa altura do nosso comentário, alguns leitores estarão perguntando: e aqueles que, embora fazendo parte dessas coletividades, não participavam dos sentimentos e pensamentos predominantes? Sofrerão inocentes?
    Na Terra não existe ninguém sofrendo inocente!
Se alguns dos habitantes dessas regiões não estiverem inscritos nesse quadro de provações, com certeza já migraram ou migrarão para a sala de aula, ou seja para o país que lhe é do merecimento. Entretanto, devemos entender que, alguns embora nesta vida não tenham participado desses sentimentos coletivos poderão estar ali para resgatar débitos contraídos em outras existências. Todas as regiões na Terra sofrerão o remanejamento necessário. Não serão apenas as guerras que promoverão o expurgo dos espíritos que deverão partir para o mundo destinado a recebê-los. A natureza possui recursos ainda incompreendidos pelo homem que de certa forma contribuirão com o plano divino para essa imigração, sem violência e de forma natural.
     Qual a será posição do Brasil diante desse quadro?
     No Brasil se concentra uma massa selecionada de espíritos que compõem a sua maioria e que atingiu um grau elevado de mansuetude. Em vista dessa qualidade predominante ele surgirá como o grande benfeitor da humanidade! Trabalhará arduamente para socorrer o que restará dos escombros do velho mundo. Finalmente assumirá o papel de Coração do Mundo! Mais tarde, com a religiosidade esclarecida pelo conhecimento das leis de causa e efeito e da reencarnação, se consagrará definitivamente como a Pátria do Evangelho.
    Em 1988, dois cosmonautas russos, depois de ficarem circulando na órbita terrestre durante um ano a bordo de uma astronave, ao desembarcarem concederam uma entrevista à imprensa que foi publicada no jornal Folha de São Paulo nos dias nove e dez de dezembro, Iuri Romanenko, um dos cosmonautas afirmou: "De lá do cosmo, reconhecíamos quando sobrevoávamos o Brasil através das explosões de luz que partem de toda região brasileira."
    Quando um espírito benfeitor em 1995, levou-me através do desdobramento a um lugar no cosmo de onde visualizei as gravações enviadas para o éter pelas coletividades humanas, ao visualizar as explosões de luz emitidas pela coletividade brasileira, perguntei:
     Serão estas as explosões de luz vistas pelos cosmonautas russos? Ele respondeu afirmativamente e acrescentou: "A rota em que transitava a astronave deu-lhe um ângulo visual com o alcance além da visão limitada ao físico, fato este que lhe proporcionou a oportunidade de enxergá-las."
     Essas explosões de luz que chegam ao cosmo oriundas do território brasileiro, são emanações do pensamento e do sentimento coletivo dos brasileiros. Essa característica de um povo pacífico, hoje é reconhecida mundialmente. Por isso sou obrigado a sorrir quando vejo um brasileiro em sua inocência ao pegar na mão um produto estrangeiro, afirmar: "isso é coisa de primeiro mundo!" Mal sabe ele que o nosso país é o único verdadeiramente de primeiro mundo em evolução espiritual.
    A nós que já estamos familiarizados com as realidades da vida eterna, nada que venha acontecer nesses momentos de transições mais profundas, deve nos assustar! Pelo contrário, devemos nos encher de esperança em saber que tudo que virá trará conseqüências benéficas para o nosso planeta e principalmente para o Brasil.

  Nelson Moraes

0 comentários:

Postar um comentário