#htmlcaption1 Deus, força e luz O evangelho ensinado e vivenciado ha 99 anos

quarta-feira, 25 de março de 2015

Mensagens psicografadas diminuem a dor por mães e filhos desencarnados


A lei do amor, que rege todas as criaturas, parece ser perceptível com maior intensidade entre mães e filhos. É clichê, démodé, chavão, mas é verdade. Até a mais dura crosta que possa envolver um coração feminino se desfaz na maternidade. Uma incrível capacidade de depositar em criaturas oriundas do seu ventre o mais precioso sentimento toma conta do corpo da mulher. 


Quando mãe ou filho se vêem na inimaginável ausência física imposta pelo desencarne, ou pela morte, angústia e saudade são muitas vezes causas de uma profunda depressão. Muitas pessoas enchem as casas espíritas à procura de um consolo, através de qualquer tipo de comunicação com quem desencarnou. “É grande a quantidade de mães que procuram seus filhos e de filhos que procuram suas mães durante as reuniões em que psicografamos”, conta o médium João Braga. 

O médium é coordenador de um trabalho conhecido com “Enxuga lágrimas”, que atende pessoas que procuram comunicação com seus entes queridos já desencarnados. Segundo João Braga, há sete anos o Centro Espírita Lar da Caridade, situado no bairro Morada do Sol, zona leste de Teresina, faz esse tipo de atendimento. 

Muitas mães e filhos já passaram por lá e conseguiram alguma mensagem do desencarnado. Mas existem também aqueles que passam anos freqüentando o local e não conseguem nenhum tipo de contato. Isso é explicado por uma frase célebre do maior médium brasileiro, Chico Xavier: “O telefone só funciona de lá para cá”. Ou seja, quem diz a hora certa de se comunicar são os desencarnados. 

“Existe toda uma preparação para que a comunicação aconteça. Primeiro, há a vontade e a capacidade do espírito desencarnado de se comunicar. Depois o médium tem que ter sintonia vibratória com o espírito. Aí é feito um trabalho pelo plano espiritual para que o parente ou amigo encarnado seja levado até a casa espírita para que receba a mensagem”, explica. 

A pessoa é “levada” para lá depois de uma “conspiração” dos espíritos esclarecidos que trabalham junto com os médiuns da casa espírita ou dos espíritos que acompanham o desencarnado que quer se comunicar. Isso pode acontecer como aviso através de um sonho, de amigos que, durante uma conversa com amigos que tocam no assunto, de várias formas. 


O processo de psicografia 
O atendimento no “Enxuga lágrimas” acontece todos os sábados. João Braga psicografa cerca de cinco mensagens por dia. Impressionantemente, João consegue escrever cerca de 12 páginas em 20 minutos. O mecanismo funciona assim: o perespírito do desencarnado se aproxima do perespírito de João e acontece uma espécie de fusão, uma troca de fluidos que permite que João consiga “trocar pensamentos” com o espírito. 

O espírito “diz” e João capta. O médium, então, coloca com suas palavras a mensagem no papel. A letra nem sempre sai de forma legível. Isso acontece por conta da influência espiritual que João está recebendo, sem conseguir manter suas faculdades normais. A letra, então, sai tremida, borrada. 

Para suprir isso, a equipe que acompanha João Braga imediatamente corrige todo o teor da mensagem. 

A mensagem é lida em voz alta e, após identificado o destinatário, é entregue. 

Após cada mensagem, há um esquecimento natural do que foi passado. João não lembra do que ouviu, ou do que escreveu. 


Conteúdo das mensagens 

Geralmente quem desencarna tem a preocupação de tranqüilizar quem fica neste plano, acabando com o sofrimento dos entes queridos. “Já conseguimos mensagens de muitos filhos querendo acabar com o sofrimento de suas mães. A maioria delas não se conforma com a perda, sem saber que, na verdade, o filho está bem amparado espiritualmente, apenas sofrendo com o sofrimento que ela emana”, explica João. 

Existem aqueles freqüentadores do “Enxuga lágrimas” que vão muitas vezes e acabam criando vínculo com o Lar da Caridade. Muitos deles conseguem receber mais de uma mensagem. A primeira delas, geralmente, tem esse teor de passar tranqüilidade aos que ficaram. 

A partir da segunda mensagem, o espírito já conta outras coisas da vida espiritual. “É como se ele tivesse feito uma viagem e mandasse um postal para a família contando como é o lugar, o que tem feito. Contam sobre lugares que visitaram, atividades que têm no plano espiritual”, ressalta. 


Chamamento para pensamentos de amor 

O mais importante em receber uma mensagem psicografada ou manter qualquer tipo de contato com entes queridos desencarnados, é saber que quando morremos não acabamos simplesmente. Não viramos pó, não somos sepultados com o corpo. O espírito vive em outros planos. E, na maioria das vezes, vive melhor sem o corpo material, dependendo apenas do adiantamento moral de cada um. 

O que filhos, mães ou outros entes queridos querem dos que permanecem neste plano é que continuem suas missões sabendo que eles nunca esquecerão de nós encarnados e, do plano espiritual onde habitam, continuam auxiliando e amando com mais força. Afinal, laços de família não se desfazem com a morte.

3 comentários:

  1. Gostaria muito se um dia pudesse receber uma mensagem do meu amado Filho

    ResponderExcluir
  2. GOSTARIA MUITO DE RECEBER UMA MENSAGEM DO MEU FILHO QUE DESENCARNOU HA 11 MESES. ACREDITO QUE PELO FATO DE SER TÃO POUCO TEM ELE AINDA NÃO CONSEGUIU SE DESGRUDAR DESTE PLANO TERRENO, POIS, SUA FILHA DE 2 ANOS E 10 MESES O VÊ CONSTANTEMENTE PELA CASA. GOSTARIA DE SABER O QUE LHE FALTA PARA SEGUIR O CAMINHO DA LUZ.

    ResponderExcluir
  3. Queria muito acalmar minha alma e afagar meu coração se pudesse receber uma pequena que fosse mensagem da minha amada mãe Ilma Corrêa Barreto que desencarnou em 03/10/2016 aqui em Campos dos Goytacazes/RJ. Sou sua filha que conviveu com ela desde o seu ventre materno até o dia da sua partida. Minha saudade é imensa. Que bom se eu recebesse notícias dela. Amo infinitamente minha mãezinha.

    ResponderExcluir