#htmlcaption1 Deus, força e luz O evangelho ensinado e vivenciado ha 99 anos

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

A “carta viva” de Paulo

cesar-perri

A 2a Epístola aos Coríntios seria a consolidação de várias cartas que teriam sido escritas por Paulo aos companheiros da cidade de Corinto, nos anos 55 e 56 d.C.1,2
Como temas centrais da referida Epístola aparecem como mensagens maiores o conceito de Deus Pai, Jesus como redentor que leva os homens a Deus, Jesus como o Messias de Israel, a superioridade dos ensinos de Jesus com relação à lei de Moisés, e, longas considerações sobre a imortalidade da alma.
Destacamos alguns versículos com recomendações válidas para a atualidade e com base em tradução corrigida e fiel de João Ferreira de Almeida.3
Paulo valoriza os esforços de aproveitamento de potenciais morais e espirituais: “Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós” (4:7).
Emmanuel interpreta sinteticamente esse versículo:

“Afervora-te no trabalho do bem e recolhe-te à humildade do aprendiz atencioso e vigilante, gastando severidade contigo e benevolência para com os outros, porque qualquer dom da Luz Divina na obscuridade do ser humano, qual se expressa na conceituação apostólica, é um “tesouro em vaso de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós.”4
O apóstolo dos gentios comenta reações bem humanas, típicas das pessoas que se encontram em momentos de transição e como iniciantes em alguma crença religiosa, e acrescenta suas orientações: “Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos” (4:8-9).
Esse trecho mereceu comentário de Emmanuel: “Mas todos os discípulos fiéis sabem, com Paulo de Tarso, que “em tudo serão atribulados e perplexos”, todavia, jamais se entregarão à angústia e ao desânimo. Sabem que o Mestre Divino foi o Grande Atribulado e aprenderam com Ele que da perplexidade, da aflição, do martírio e da morte, transfere-se a alma para a Ressurreição Eterna.”5
As lutas interiores e externas para os que se introduzem em novos conceitos religiosos devem ter como parâmetro o conceito de novo homem, o que é registrado pelo apóstolo missivista: “Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração” (3:3).
Emmanuel reforça pela psicografia de Chico Xavier a importância da vivência da mensagem: “Podem surgir muitas contendas em torno das páginas mais célebres e formosas; todavia, perante a alma que se converteu em carta viva do Senhor, quando  não haja vibrações superiores da compreensão, haverá sempre o divino silêncio.”6
Sobre esse assunto, Paulo prossegue em outro versículo: “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (5:17).
O processo de renovação interior foi explicitado pelo orientador espiritual de Chico Xavier:
“Se pretendes quebrar as algemas que te agrilhoam à sombra, não bastará te rotules com esse ou aquele título no campo das afirmações exteriores. É imprescindível te transformes por dentro, fazendo luz para o cérebro e luz para o coração.”7
O notável exegeta espiritual considera: “Viver de qualquer modo é de todos, mas viver em paz consigo mesmo é serviço de poucos.”9
Antonio Cesar Perri de Carvalho
Bibliografia:1. Champlin, Russel Norman. O Novo Testamento Interpretado: versículo por versículo. Vol. 4. Cap. Segunda Epístola aos Coríntios. São Paulo: Hagnos, 2014.
2. Walker, Peter. Pelos caminhos do apóstolo Paulo. Trad. Mariz, Andréa. Introdução, Cap. 9. São Paulo: Ed.Rosari. 2009.
3. Ryrie, Charles C. A Bíblia de Estudo Anotada/Expandida. Trad. Klassin, Susana. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 2007.
4. Xavier, Francisco Cândido. Pelo espírito Emmanuel. Palavras de vida eterna. Cap.21 e 125. Uberaba: CEC. 2010.
5. Xavier, Francisco Cândido. Pelo espírito Emmanuel. Vinha de luz. Cap.26 e 102. Rio de Janeiro: FEB, 2006.
6. Xavier, Francisco Cândido. Pelo espírito Emmanuel. Caminho, verdade e vida. Cap.7, 114, 115. Rio de Janeiro: FEB, 2005.
7. Xavier, Francisco Cândido. Pelo espírito Emmanuel. Segue-me. Cap.Renovemo-nos. Matão: Ed.O Clarim, 2011.
8. Kardec, Allan. O evangelho segundo o espiritismo. Trad. Noleto, Evandro Bezerra. Introdução. Rio de Janeiro: FEB, 2010.
9. Xavier, Francisco Cândido. Pelo espírito Emmanuel. Fonte Viva. Cap. 53 e 123. Rio de Janeiro: FEB, 2005.
Nota do autor:
Síntese de artigo do mesmo autor, publicado na “Revista Internacional de Espiritismo”, Ed.O Clarim, novembro de 2015.
Nota do editor:
Imagem ilustrativa e em destaque disponível em <http://www.ancient.eu/corinth/>.
Acesso em: 20JAN2016.

0 comentários:

Postar um comentário