#htmlcaption1 Deus, força e luz O evangelho ensinado e vivenciado ha 99 anos

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Simplesmente, Centro Espírita!

Simplesmente, Centro Espírita!
Vez, por outra, somos surpreendidos por alguém que nos procura para perguntar: o centro espírita que você frequenta é centro “KARDECISTA” de “mesa branca”? Posso participar de uma sessão para receber uma orientação espiritual do meu espírito guia?
Lá vamos nós às conhecidas explicações sobre a tal mesa branca, e começamos as nossas explanações, dizendo que no Centro Espírita a cor da mesa não tem a mínima importância, que nenhuma influência exerce sobre a prática espírita podendo ser ela: azul, verde, amarela, branca ou outra cor qualquer, de madeira, de plástico, de ferro, de vidro, de concreto, ou de outro material que não tem tamanho definido, podendo assim ser grande ou pequena, leve ou pesada, deste ou daquele formato etc. A mesa é um móvel doméstico, ou empresarial, que é utilizada apenas pela comodidade que oferece, facilitando as mais variadas tarefas, desde as mais simples até as mais complexas, no nosso labor diário, particular ou coletivo, mas que nada tem a ver com a prática da Doutrina Espírita.

A mesa pode até mesmo ser dispensada na prática espírita, sem causar qualquer tipo de prejuízo às atividades espirituais, a não ser a falta de comodidade para os seus participantes no sentido de lhes servir de apoio e conforto. Sua constituição, cor, tamanho etc., não traz qualquer influência às tarefas a serem realizadas na casa espírita.
Atrelar a cor da mesa para definição de um centro espírita “KARDECISTA”, nos indica que o nosso interrogante é pessoa que não tem conhecimento da doutrina que professamos, e demonstra, a maneira errada de como a doutrina espírita é vista pelos leigos no assunto, que vão passando à frente essa informação infundada, porque alguém falou fruto da falta de conhecimento da maioria das pessoas de outras crenças, do que seja o verdadeiro Espiritismo.
A Doutrina Espírita dispensa todo tipo de objeto material, gestos, rituais, móveis, roupas especiais, velas, sinais, posturas, expressões etc., sendo tudo isso absolutamente desnecessário, inútil, dispensável, pois que a prática espírita fundamenta-se exclusivamente na questão da sintonia mental elevada e dos sentimentos nobres que devem possuir seus participantes. Aí está todo o conteúdo necessário à prática da mediunidade eficaz. É claro que nos reportamos nesta oportunidade à visão da prática das reuniões mediúnicas, na expectativa dos que desconhecem o procedimento espírita, definindo-o por “Centro Kardecista de mesa branca.
Essa ideia equivocada de Centro Espírita deixará de existir, à medida que se passa a conhecer o procedimento espírita através de estudos, levados a efeito nas Casas Espíritas sérias, que não se prestam a práticas de simples rituais em busca de fenômenos como muitos imaginam, e sim objetivam efetivar a caridade material e espiritual oferecendo aos necessitados de ambos os planos da vida a necessária ajuda em suas variadas necessidades, oferecendo-lhes o pão material e espiritual. Concedendo também aos vivos do plano espiritual a oportunidade do intercâmbio com os vivos do plano material, para que se renovem nos propósitos de crescimento, pois, são também criaturas humanas, que já deixaram o corpo de carne pelo fenômeno biológico da morte, e que necessitam da caridade que a misericórdia do nosso Pai nos concede em qualquer situação em que estejamos incluídos. Assim sendo, ao ouvirmos a expressão Centro Kardecista de mesa branca, estejamos absolutamente certos de que quem a usa está totalmente desinformado da realidade dos trabalhos práticos realizados nas verdadeiras casas espíritas.
Espiritismo e Espiritualismo
“Pergunto-vos, em primeiro lugar, qual a necessidade da criação de novos termos: espírita e espiritismo, para substituir: espiritualista e espiritualismo, que são da língua vulgar e por todos compreendidos?
Já ouvi alguém classificar tais termos de barbarismos.A. K.— De há muito tem já a palavra espiritualista uma acepção bem determinada; é a Academia que no-la dá: Espiritualista, aquele ou aquela pessoa cuja doutrina é oposta ao materialismo.
Todas as religiões são necessariamente fundadas sobre o espiritualismo. Aquele que crê que em nós existe outra coisa, além da matéria, é espiritualista, o que não implica a crença nos Espíritos e nas suas manifestações. Como o podereis distinguir daquele que tem esta crença? Ver-vos-eis obrigado a servir-vos de uma perífrase e dizer: É um espiritualista que crê ou não crê nos Espíritos.
Para as novas coisas são necessários termos novos, quando se quer evitar equívocos. Se eu tivesse dado à minha Revista a qualificação de espiritualista, não lhe teria especificado o objeto, porque, sem desmentir-lhe o título, bem poderia nada dizer nela sobre os Espíritos, e até combatê-los.
Já há algum tempo, li num jornal, a propósito de uma obra filosófica, um artigo em que se dizia tê-la o autor escrito do ponto de vista espiritualista; ora, os partidários dos Espíritos ficariam singularmente desapontados se, confiantes nessa indicação, acreditassem encontrar alguma concordância entre o que ela ensina e as ideias por eles admitidas.
Se adotei os termos espírita, espiritismo, é porque eles exprimem, sem equívoco, as ideias relativas aos Espíritos.
Todo espírita é necessariamente espiritualista, mas nem todos os espiritualistas são espíritas”. (1)
Um grupo espírita sério, fundamentado nos conceitos do espiritismo, é fraterno entre si e seus semelhantes, faz uso da fé raciocinada, movimenta-se exclusivamente com bom-senso em tudo que executa, é notado exclusivamente pelo procedimento cristão de seus membros, pelos estudos que desenvolvem, pela ação em prol do bem que empreendem, pela simplicidade em suas vestimentas, pela palavra fraterna e elevada das quais se utilizam. Ali se observa absoluta fidelidade aos legítimos princípios cristãos, ensinados e exemplificados por Jesus.
Francisco Rebouças
Bibliografia:
1- Kardec, Allan. O Que é O Espiritismo. FEB. 37ª edição.
Nota do editor:
Imagem ilustrativa de uma reunião pública realizada na Sede Histórica da Federação Espírita Brasileira (Avenida Passos, 30, Centro, Rio de Janeiro, RJ). Disponível em:
<http://www.febnet.org.br/blog/geral/conheca-a-feb/feb-lotada-recebe-haroldo-dutra/>.
Acesso em: 20JAN2016.
Acesse a página da Federação Espírita Brasileira.

0 comentários:

Postar um comentário