#htmlcaption1 Deus, força e luz O evangelho ensinado e vivenciado ha 99 anos

quinta-feira, 10 de março de 2016

E ASSIM SE DEPURA O ASTRAL..

.
Quando estamos a presenciar a aparente eterna maldade reinante na face deste orbe, eis que o momento da faxina deste grande salão chamado Terra se faz necessário.
Não haverá consciência que não reflita sobre seu destino e suas mazelas, bem como não haverá região (na crosta ou submundo) que não seja tocada pela luz da auto revelação e do julgo de suas sementes.
Assim se dará também com os mais recônditos lugares e nos mais inóspitos meios, onde habitam irmãos que pelo domínio do intelecto se "imunizavam" temporariamente da prerrogativa da lei de retorno, pois as regiões mais abissais também sofrerão sua assepsia e depuração, pois a todos o momento regenerativo há que ser imposto, sem exceções:
Assim Ramatis nos trás:
"Há moradores residindo em locais cuja vossa imaginação seria incapaz de conceber, mesmo após minuciosa leitura de A Divina Comédia, cujas descrições dantescas retratam uma região medonha.
Há abismos de assustadora profundidade e condições inóspitas onde somente aqueles mais destemidos são capazes de habitar.
Tal situação permite que alguns mecanismos siderais sejam temporariamente dominados, tais como o processo reencarnatório.
Embora saibamos que nenhuma criatura universal é esquecida por Deus, estes corajosos irmãos, devido a grande capacidade intelectual e domínio das forças da natureza, são capazes de permanecerem intocáveis nas profundezas abissais durante algumas centenas de anos.
Mas apesar disto, sempre chega o dia em que precisamos prestar contas face ao nosso livre-arbítrio, e neste momento não haverá "esconderijo" seguro em nenhuma longitude cósmica."
Saibamos depurar os abismos que nos isolam do amor fraterno e nos enrijecem o coração, para que o toque da luz Crística nos seja motivo de júbilo e redenção e não de cegueira incapacitadora que nos impossibilita para permanecer nesta nova Jerusalém (morada) que se aproxima.

0 comentários:

Postar um comentário