#htmlcaption1 Deus, força e luz O evangelho ensinado e vivenciado ha 99 anos

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Sócrates e Platão

 Resultado de imagem para socrates
Chamo humano vicioso a esse amante vulgar que ama o corpo físico antes que o Es- 21 pírito. O amor está por toda parte na Natureza, que nos convida a exercitar nossa inteligência. É encontrado até nos movimentos dos astros. É o amor que orna a Natureza de seus ricos tapetes. Ele se enfeita e fixa sua morada lá onde encontra flores e perfumes. É ainda o amor que dá a paz aos humanos, a calma ao mar, o silêncio aos ventos e o sono à dor. O amor, que deve unir os humanos por um laço fraternal, é uma consequência dessa teoria de Platão sobre o amor universal como lei natural. Sócrates, tendo dito que “o amor não é um deus nem um mortal, mas um grande demônio”, quer dizer, um grande Espírito presidindo ao amor universal, esta afirmação lhe foi, sobretudo, imputada como crime. XVII - A virtude não se pode ensinar, ela vem por um dom de Deus àqueles que a possuem. É aproximadamente a Doutrina cristã sobre a graça. Mas, se a virtude é um dom de Deus, é um favor, que se pode pedir, porque ela não é concedida a todo o mundo. Por outro lado, se é um dom, ela é sem mérito para aquele que a possui. O Espiritismo é mais explícito. Ele diz que aquele que possui a virtude a desenvolve por seus esforços em existências sucessivas, em se despojando, pouco a pouco, das suas imperfeições. A graça é a força da qual a Lei de Deus favorece todo humano de boa vontade, para se despojar do erro e para fazer o certo. XVIII - É uma disposição natural, a cada um de nós, se aperceber bem menos dos nossos defeitos que dos de outrem. No Evangelho ensina: “Vedes o galho no olho do vosso vizinho, e não vedes a árvore que está no vosso”. XIX - Se os médicos fracassam na maioria das doenças, é que tratam o corpo físico sem o Espírito, e que, o todo não estando em bom estado, é impossível que a parte se porte bem. O Espiritismo dá a chave das relações que existem entre o Espírito e o corpo físico, e prova que há reação incessante de um sobre o outro. Ele abre, assim, um novo caminho à ciência e, em lhe mostrando a verdadeira causa de certas doenças, lhe dá os meios de combatê-las. Quando a ci- ência se inteirar da ação do elemento espiritual no mundo material, fracassará com menos frequência. XX - Todos os humanos, a começar desde a infância, fazem muito mais erros do que acertos. Estas palavras de Sócrates tocam a grave questão da predominância do erro na Terra, questão insolúvel sem o conhecimento da pluralidade dos mundos e da destinação da Terra, onde não habita senão uma pequena fração da Humanidade. Só o Espiritismo lhe dá a solução. XXI - Há sabedoria em não crer saber aquilo que tu não sabes. Isto vai endereçado às pessoas que criticam aquilo de que, frequentemente, não sabem a primeira palavra. Platão completa esse pensamento de Sócrates, dizendo: "Experimentemos primeiro torná-los, se isto é possível, mais honestos em palavras, senão, não nos preocupemos com eles, e não procuremos senão a verdade. Esforcemo-nos em nos instruir, mas não nos injuriemos". É assim que devem agir os Espíritas com respeito aos seus contraditores, de correta ou errada fé. Revivesse Platão hoje, e encontraria as coisas aproximadamente como no seu tempo, e poderia ter a mesma linguagem. Sócrates também encontraria pessoas para zombarem de sua crença nos Espíritos, e tratá-lo de louco, assim como a seu discípulo Platão. Foi por ter professado esses princípios que Sócrates foi primeiro ridicularizado, depois acusado de impiedade, e condenado a beber cicuta (veneno). Tanto isso é certo que as grandes verdades novas, levantando contra si os interesses e os preconceitos que machucam, não podem se estabelecer sem luta e sem fazer mártires. (Há mais de 2500, dois mil e quinhentos, anos já tínhamos ‘mensageiros’ a nos avisarem das verdades espirituais. É uma pena que essas verdades atrapalhavam nossas ambições materiais, nossos planos de poder e de mando, nossa posição social e política. Assim sendo não nos foi difícil, dada a nossa posição, acabar com todos esses ‘mensageiros’. Mas, a VERDADE flui através dos ‘poros’ das montanhas de mentiras, montanhas essas com que ‘escondemos’, de nós mesmos, aquelas verdades. Agora elas aparecem, mais uma vez, pela Doutrina 22 dos Espíritos, será que vamos, novamente, enterrá-la?)  

0 comentários:

Postar um comentário