#htmlcaption1 Deus, força e luz O evangelho ensinado e vivenciado ha 99 anos

domingo, 29 de julho de 2018

Seguimos para a Luz!








“Aparte-se do mal, e faça o bem; busque a paz, e siga-a.” – Pedro.
(I Pedro, 3:11.)
É sempre positivo para o ser humano reconhecer que no sentimento reside o mais poderoso controle da vida, isto porque na caminhada evolutiva do Ser em busca de sua sublimação, múltiplos são os caminhos que o levarão ao aperfeiçoamento e outros muitos que podem conduzi-lo ao precipício e ao infortúnio. Claro está que como filho de um Pai amoroso e justo, não faltarão recursos de trabalho espiritual a todo aquele que verdadeiramente desejar reerguer- se, aprimorar-se, elevar-se, espiritualizar-se.
Para tanto, será indispensável muito, muito esforço e boa vontade de cada criatura desejosa de aprimorar-se em todos os sentidos para não sucumbir diante dos desafios que terá que superar, para não continuar indefinidamente sob o domínio dos impulsos inferiores.
Reconhecido é, que não será tarefa simples para ninguém dissipar as nuvens pesadas que ensombram a mente humana, não será fácil desfazer-se do mal, alicerçado nos inúmeros desvios e rota pelas equivocadas escolhas de nossa alma através das inúmeras reencarnações vivenciadas por cada indivíduo, nos equivocados prazeres da loucura nos séculos de ignorância dedicados às fantasias ilusórias dos vícios e do erro.
Por essa razão, para a maioria dos homens nos dias de hoje ainda é muito difícil praticar o bem, em virtude das nocivas paixões pessoais que nos traduzem a personalidade impondo-nos reconhecer, que continuamos envolvidos na malha pesada de nossos velhos caprichos, o que muito dificulta buscar a paz e segui-la. É esta é a verdadeira situação da maioria dos encarnados e de grande parte dos desencarnados, porque a morte física não soluciona problemas que condizem com o foro íntimo de cada criatura.
É chegada a hora de abrirmos os olhos para enxergar e obedecer aos dispositivos estabelecidos pelas Sábias Leis Divinas que regem com equilíbrio os destinos das criaturas no mundo. Se por acaso já despertamos para o entendimento das superiores determinações, examinemos com cuidado como estamos utilizando o tempo que nos foi concedido para o exercício do bem em prol do nosso próprio aprimoramento.
Em nossas experiências em vidas passadas, não soubemos ser fieis aos nossos deveres para com os compromissos reencarnatórios assumidos no mundo espiritual, malbaratando o tempo e desperdiçando as oportunidades de progresso moral espiritual, que não soubemos aproveitar em nossa luta construtiva. Infelizmente utilizamos os talentos da riqueza terrestre, na embriaguez das alucinações da vaidade; as oportunidades ofertadas pela rica experiência da pobreza, desperdiçamos com revoltas e lamentações infundadas e inúteis.
“O determinismo do amor e do bem é a lei de todo o Universo e a alma humana emerge de todas as catástrofes em busca de uma vida melhor. Só Jesus não passou, na caminhada dolorosa das raças, objetivando a dilaceração de todas as fronteiras para o amplexo universal. Ele é a Luz do Princípio e nas suas mãos misericordiosas repousam os destinos do mundo. Seu coração magnânimo é a fonte da vida para toda a Humanidade terrestre. Sua mensagem de amor, no Evangelho, é a eterna palavra da ressurreição e da justiça, da fraternidade e da misericórdia. Todas as coisas humanas passaram, todas as coisas humanas se modificarão. Ele, porém, é a Luz de todas as vidas terrestres, inacessível ao tempo e à destruição”. (1)
Faz-se urgente procurar à nossa volta, onde esteja a possibilidade de sermos úteis, e avançar de ânimo forte, para a frente e para o alto, construindo o bem, ainda que defrontados pela ironia, pela frieza ou pela ingratidão de tantos quanto ainda não pensam como nós, lembrando a iluminada palavra do Mestre Maior de toda a humanidade: “A cada um, segundo as suas obras”.
Francisco Rebouças

0 comentários:

Postar um comentário