#htmlcaption1 Deus, força e luz O evangelho ensinado e vivenciado ha 99 anos

sábado, 29 de dezembro de 2018

HÁ ALGO MAIS... UM AMOR, UMA LUZ*.

HÁ ALGO MAIS... UM AMOR, UMA LUZ*.
(De Coração a Coração, Por Entre os Planos da Vida...)
 
Muitas vezes, nós nos perdemos dentro de nós e nem percebemos.
Em alguns momentos, até mesmo nos esquecemos da Luz.
Às vezes, nós nos deixamos levar por coisas ruins...
E depois, em nossa arrogância, nem reconhecemos isso.
Quantas vezes, nós renegamos nossa própria essência espiritual?
Diante das provas do caminho, quantas vezes nós vociferamos contra o Alto?
Mesmo assim, sempre fomos amados incondicionalmente...
Porque a Espiritualidade Maior não julga, só ama (e a tudo compreende).
Mesmo quando renegamos a música das esferas, alguém cantou por nós...
Secretamente, fomos embalados numa canção de Amor.
Nossa canção foi cuidada e restaurada, sem que soubéssemos disso!
Hoje, nós estamos aqui, tentando ir em frente, para algo melhor.
Nós estamos realmente escutando a canção do nosso coração?
Nós estamos olhando a vida com admiração?
Nossos passos são firmes na trilha que escolhemos seguir?
Quando alguém parte, nós continuamos olhando para frente?
Quando a saudade aperta, nós nos desesperamos e deixamos a canção ir?
Ainda olhamos para a abóbada celeste com o olhar de criança diante do infinito?
Nós nos permitimos sentir o abraço daqueles que partiram, por entre os planos?
Nós estamos agradecidos pela Luz espiritual que desceu sobre nossas vidas?
E que nos permite olhar as coisas da vida “com outros olhos” e “coração gentil”?
Nossa canção nesse mundo é trilha sonora do Bem?
Nós estamos de acordo com a Espiritualidade que amamos (e conscientes disso)?
Diante da frieza da morte, nós ainda cantamos a imortalidade da consciência?
Nosso Amor transcende a forma caída e percebe o espírito voando, algures?
Mesmo num dia escuro e difícil, nós vemos o sol com nosso coração?
Mesmo nos momentos difíceis, ainda nos emocionamos com uma linda canção?
Quando dormimos, ainda voamos pelas estrelas**, brincando no infinito?...
E, no plano espiritual, abraçamos nossos entes queridos e rimos com eles?
Nós realmente estamos conscientes disso tudo, em Espírito e Verdade?
Nós continuamos dizendo que “há algo mais... Um Amor e uma Luz”?

fonte IPPB.
 

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Os níveis de consciência no espiritismo

Os níveis de consciência no espiritismo indicam a jornada evolutiva através de cinco níveis da consciência que vão desde a Consciência de sono sem sonhos até a Consciência cósmica.

Os níveis de consciência no espiritismo

Vídeo: O que é consciência?

Os cinco níveis da consciência no espiritismo

Segundo Joanna De Ângelis
Excertos da obra: O ser consciente, de Divaldo Pereira Franco, ditado pelo espírito de Joanna De Ângelis.

[…] De Ropp classificou os níveis de consciência em cinco estágios:
  • Consciência de sono sem sonhos;
  • Consciência de sono com sonho;
  • Consciência de sono acordado;
  • Consciência de transcendência do eu; e
  • Consciência cósmica.

Primeiro nível: Consciência de sono sem sonhos
No primeiro nível — quando se transita no sono sem sonhos — apenas os fenômenos orgânicos automáticos se exteriorizam, assim mesmo sem o conhecimento da consciência, tais: respiração, digestão, reprodução, circulação sanguínea…
Como se estivesse anestesiada, ela não tem ação lúcida sobre os acontecimentos em torno da própria existência, e a ausência de vontade do indivíduo contribui para o seu trânsito lento do instinto aos pródromos da razão…

Segundo nível: Consciência de sono com sonhos
No segundo nível, o sono com sonhos, ele libera clichês e lentamente incorpora-os à realidade, passando pelas fases dramáticas — os pesadelos, os pavores — para os da libído — ação dos estímulos sexuais — e os reveladores — que dizem respeito à parcial libertação do Espírito quando o corpo está em repouso…

Terceiro nível: Consciência de sono acordado
O desenvolvimento da consciência atinge o terceiro nível, o de sono acordado, no qual a determinação pessoal, aliada à vontade, conduz o ser aos ideais de enobrecimento, à descoberta da finalidade da sua existência, às aspirações do que lhe é essencial, ao auto encontro, à realização total.

Quarto nível: Consciência de transcendência do eu
Naturalmente, a partir daí, ascende ao quarto estado, que é a descoberta da transcendência do eu, a identificação consigo mesmo, com a consequente liberação do Eu profundo, realizando a harmonia íntima com os ideais superiores, seu real objetivo psicológico existencial.
A superação dos conflitos, das angústias, a desidentificação dos conteúdos psicológicos afugentes, permitem a iluminação, e a próxima é a meta da vinculação com a consciência cósmica.

Quinto nível: Consciência cósmica
Nem sempre, porém, o homem e a mulher conseguem alcançar esse nível ideal, fenômeno que, não obstante, será realizado através das reencarnações que lhes facultarão a vitória sobre os carmas negativos e, mediante as leis de causa e efeito, passo a passo, em esforço contínuo poderão fazê-lo.
[…]Outrossim, (Jesus) alertou sobre o imperativo de fazer-se ao próximo o que se gostaria que este lhe fizesse, fixando no amor o processo de libertação, na ação edificante o meio de crescimento e na oração fortalecedora a energia que proporciona o desiderato.
Esse desempenho favorece a perfeita identificação do sentimento com o conhecimento, resultando na conquista do Eu profundo em sintonia com a Consciência Cósmica.
Boa aula!

Vídeo: Os níveis de consciência



Psicologia e reencarnação

Resultado de imagem para psicologia
Psicologia e reencarnação são temas que podem caber numa mesma frase.
A reencarnação afeta a conduta humana e é conteúdo psíquico que não pode ser proibição para o psicólogo, creia ele ou não.

Psicologia e reencarnação

Reencarnação: tema controverso para o meio científico em razão de não ser um objeto de estudo que possa ser analisado pelo método científico corrente, porém, é inegável que se trata de um tema que desperta a curiosidade humana e sendo para muitos um tema que causa forte influência em sua trajetória de vida.
Tal tema não pode ser desconsiderado pela psicologia, que traz em sua própria etimologia a palavra alma (psyche), além do fato de ser a reencarnação um tema que afeta a conduta humana.
Alguns excertos do prefácio do livro “As várias vidas da alma: Um psicoterapeuta junguiano descobre as vidas passadas”, de Roger J. Woolger:
A capacidade de recordar vidas passadas é tema de pesquisa sistemática de psicólogos há quase trinta anos.
O dr. Ian Stevenson, da Universidade de Virgínia, tem um arquivo com centenas de investigações meticulosas sobre vidas anteriores que foram lembradas espontaneamente por crianças.
A crença ou descrença na reencarnação influencia o modo do ser humano lidar com a sua existência.
Especialmente o psicólogo, mesmo quando este não considerar como razoável a possibilidade da reencarnação, ainda assim, terá que lidar com tal tema como conteúdo psíquico daquele que acredita.
Roger J. Woolger, na obra citada ainda diz:
Psicoterapeutas e hipnoterapeutas como Morris Netherton, da Califórnia, e Joe Scranton, da Inglaterra, mostraram no cinema e na televisão o trabalho extraordinário de regressão de adultos a vidas passadas.
Durante o transe, os pacientes se contorcem ao recordar a agonia da morte, choram copiosamente com a perda de entes queridos ou passam a se expressar em línguas estrangeiras das quais sequer ouviram falar.
A “alma” é ideia fundamental para a ocorrência da reencarnação, afinal é a alma que reencarna em diversos corpos físicos.
A presença da figura da alma é que promove a resistência para que um tema como a reencarnação seja colocada como terreno em que o psicólogo caminha.
Woolger segue dizendo:
Apesar de toda essa publicidade […] a pesquisa e a terapia de vidas passadas são completamente ignorados ou mesmo menosprezados de forma irônica pela maioria dos psicólogos e intelectuais das universidades mais importantes dos Estados Unidos e da Europa.
Por que isso acontece?
Uma das razões possíveis é que “vidas passadas” sugere reencarnação para a maioria das pessoas, e reencarnação evoca imediatamente imagens de ocultismo, exorcismo e possessão por espíritos; é coisa “do demônio”, como dizem os fundamentalistas. […].
Pode ser também porque reencarnação parece ser algo suspeitamente oriental. […].
O fato é que a psicologia possui um papel distinto de todas as outras ciências porque o seu material de trabalho é o que se passa na mente humana.
A reencarnação não precisa ser uma crença do psicólogo para que apareça como tema no setting psicoterapêutico.
Woolger ainda diz:
[…] Será que estamos realmente às vésperas de uma reavaliação radical do que é personalidade humana?
Estará surgindo uma nova psicologia que possa abranger novamente o componente imortal chamado tradicionalmente de “alma”?
Será que as antigas doutrinas de karma e reencarnação podem ser compreendidas em termos que façam sentido psicologicamente para homens e mulheres ocidentais modernos, sem a aceitação cega de outros dogmas e sem degenerarem numa forma popular de psicologia da moda?
Acredito que sim […].
Tomara que sim!
Paulo Rogério da Motta

Antes do Berço – André Luiz

Resultado de imagem para reencarnação
Antes do berço, na Espiritualidade, examinando as suas próprias necessidades de aperfeiçoamento terá você pedido:
a deficiência corpórea que induza à elevação de sentimentos;
a enfermidade de longa duração, capaz de educar-lhe os impulsos;
essa ou aquela lesão física que favoreça os exercícios de disciplina;
determinada mutilação que lhe iniba o arrastamento à agressividade exagerada;
o complexo psicológico que lhe renove as idéias;
o lar amargo onde possa aprender quanto vale a afeição;
o traço de prova que lhe impõe obstáculos no grupo social, a fim de esquecer inquietações de orgulho;
o reencontro com os adversários do passado, então na forma de parentes difíceis, atendendo a resgate de antigos débitos;
a impossibilidade temporária para a obtenção de um título acadêmico, de modo a frenar-se contra desmandos intelectuais;
a internação passageira em ambiente de pauperismo, de maneira a desenvolver a própria habilitação no trabalho pessoal.
Aceite as dificuldades e desafios da existência, porque, na maioria das circunstâncias, são respostas da Providência Divina aos nossos anseios de reajuste e sublimação.

Francisco Cândido Xavier pelo espírito André Luiz.
Do livr
o Respostas da Vida editora Ideal.

O Passe Magnético

Resultado de imagem para passe na visão espirita
01 – O que é:
… “Transfusão de energias físico-psíquica, operação de boa vontade, dentro da qual o companheiro do bem cede de si mesmo em teu benefício”.
(Emmanuel).

02 – Jesus – Espiritismo.
“E rogava-lhe muito dizendo: – Minha filha está moribunda; rogo-te que venhas e lhe imponhas as mãos para que sare e viva”.
(Marcos 5:23)

03 – Natureza.
“Forças magnéticas de variado teor”.
(Emmanuel).

04 – Finalidades.
Reequilíbrio orgânico, perispiritual e psíquico.

05 – Tipos de Passes.
Humano – A ação magnética se faz pelo próprio fluido da pessoa (magnetizador).
Espiritual – A ação magnética se faz pelo fluido dos espíritos, atuando diretamente sobre o encarnado, sem o intermediário.
Humano-Espiritual – A ação magnética se faz pelos fluidos do médium e do espírito que lhe auxiliam no passe. O fluido combinado do espírito e do médium.
(“A Gênese” – Cap. 14 – item: Curas – Allan Kardec).

06 – Humano-Espiritual.
“O Passe mediúnico só é possível através da incorporação ou é viável sob influenciação do guia?”
“O Passe é transfusão de forças magnéticas de variado teor e pode ser administrado sob a influenciação dos desencarnados, que se devotam à caridade, SEM NECESSIDADE ABSOLUTA DE INCORPORAÇÂO TOTAL na instrumentação mediúnica”.
(Emmanuel – entrevista no jornal “Triângulo Espírita” – Uberaba – n 45).

07 – Aplicação.
“E pode, acaso, ser dispensado à distância?”
“Sim, desde que haja sintonia entre aquele que o administra e aquele que o recebe. Nesse caso, diversos companheiros espirituais se ajustam no trabalho do auxílio, favorecendo a realização, e a prece silenciosa, será o melhor veículo da força curadora”.
(Nos Domínios da Mediunidade – Cap. 17).

08 – Local.
“No Templo Espírita, os instrutores desencarnados conseguem localizar recursos avançados do plano espiritual para o socorro a obsidiados e obsessores…”.
(Desobsessão – Cap. 09).
Assistência: Espiritual e Material.
“O Espiritismo, pelo bem que faz é que prova a sua missão providencial. Ele cura os males físicos, mas cura sobretudo, as doenças morais e são esses os maiores prodígios que lhe atestam a procedência…”
( A Gênese – Allan Kardec)
Luminosidade:
…”uma ou duas lâmpadas, preferivelmente vermelhas, de capacidade fraca, 15 Watts, por exemplo, de vez que a projeção de raios demasiado intensos sobre o conjunto prejudica a formação de medidas socorristas, mentalizadas e dirigidas pelos instrutores espirituais…”
(Desobsessão – Cap. 17 – André Luiz).

09 – Paciente.
“Nossa missão é de amparar os que erraram, e não de fortalecer os erros”.
(Instrutor Alexandre “Missionários da Luz” – Cap. 19).
Será, então, indispensável a fé para que registrem o socorro de que necessitam? … “No terreno das vantagens espirituais é imprescindível que o candidato apresente uma certa “tensão favorável”. Essa tensão decorre da fé … “Sem recolhimento e respeito na receptividade, não conseguimos fixar os recursos imponderáveis que funcionam em nosso favor, porque o escárnio e a dureza de coração podem ser comparadas a espessas camadas de gelo sobre o templo da alma”.
(Instrutor Aulus – “Nos Domínios da Mediunidade” – Cap. 17).

10 – Passista.
“O missionário do auxílio magnético, na Crosta ou aqui em nossa esfera, necessita ter grande domínio sobre si mesmo, espontâneo equilíbrio de sentimentos, acendrado amor aos semelhantes, alta compreensão da vida, fé vigorosa e profunda confiança no Poder Divino. Cumpre-me acentuar, todavia, que semelhantes requisitos, em nosso plano, constituem exigências a que não se pode fugir, quando, na esfera carnal, a boa vontade sincera, em muitos casos, pode suprir essa ou aquela deficiência, o que se justifica, em virtude da assistência prestada pelos benfeitores de nossos círculos de ação ao servidor humano, ainda incompleto no terreno das qualidades desejáveis”.
(Instrutor Alexandre – “Missionários da Luz” – Cap. 19).
“A fiscalização dos elementos destinados aos armazéns celulares é indispensável, por parte do próprio interessado em atender as tarefas do bem. O excesso de alimentação produz odores fétidos, através dos poros, bem como das saídas dos pulmões e do estômago, prejudicando as faculdades radiantes, porquanto provoca dejeções anormais, e desarmonias de vulto no aparelho gastro-intestinal”.
“O álcool e outras substâncias tóxicas operam distúrbios nos centros nervosos, modificando certas funções psíquicas e anulando os melhores esforços na transmissão de elementos regeneradores e salutares”.
(Instrutor Alexandre – “Missionários da Luz” – Cap. 19).
“Um sistema nervoso esgotado, oprimido, é um canal que não responde pelas interrupções havidas. A mágoa excessiva, a paixão desvairada, a inquietude obsidente, constituem barreiras que impedem a passagem das energias auxiliadoras.
(Instrutor Alexandre – “Missionários da Luz” – Cap. 19).

11 – No Momento do Passe.
“… em toda situação e em qualquer tempo, cabe ao médium passista buscar na prece o fio de ligação com os planos mais elevados da vida, porquanto, através da oração, contará com a presença sutil dos instrutores que atendem aos misteres da Providência Divina, a lhe utilizarem os recursos para a extensão incessante do Eterno Bem”.
(Mecanismos da Mediunidade – Cap. 22 – André Luiz).

12 – O Passe Dispensa.
“Lembrar-se que na aplicação de passes não se faz precisa a gesticulação violenta, a respiração ofegante ou o bocejo de contínuo, e que nem sempre há necessidade do toque direto no paciente. A transmissão do passe dispensa qualquer recurso espetacular”.
(Conduta Espírita – Cap. 18 – André Luiz).

13 – Modalidades.
“Anacleto continuou de pé e aplicou-lhe um passe longitudinal sobre a cabeça, partindo do contacto simples e descendo a mão vagarosamente até a região do fígado, que o auxiliador tocava com a extremidade dos dedos irradiantes, repetindo-se a operação por alguns minutos”.
“Em seguida aplicou passes rotatórios na região uterina. Vi que as manchas microscópicas se reuniam, congragando-se numa só, formando pequeno corpo escuro. Sob o influxo magnético do auxiliador, a reduzida bola e fluídico-pardacenta transferiu-se para o interior da bexiga urinária”.
(Missionários da Luiz – Cap. 19 – André Luiz).
Passe de Sopro – “Nos círculos carnais, para que o sopro se afirme suficientemente, é imprescindível que o homem tenha o estômago sadio, a boca habituada a falar o bem, com abstenção do mal, e a mente reta, interessada em auxiliar. Obedecendo a esses requisitos, teremos o sopro calmante e revigorador, estimulante e curativo. Através dele, poder-se-á transmitir, também na Crosta a saúde, o conforto e a vida”.
(Os Mensageiros – Cap.19 – André Luiz).

14 – Centros Vitais.
01 – Coronário – instalado na região central do cérebro, sede da mente, centro que assimila os estímulos do Plano Superior e orienta a forma, o movimento, a estabilidade, o metabolismo orgânico e a vida consciencial da alma encarnada ou desencarnada, nas cintas de aprendizado que lhe corresponde no abrigo planetário. O Centro Coronário supervisiona, ainda, os outros centros vitais que lhe obedecem ao impulso…
02 – Cerebral – é contíguo ao coronário. – governa o córtice encefálico na sustentação dos sentidos, marcando a atividade das glândulas endocrínicas e administrando o sistema nervoso, em toda a sua organização, coordenação, atividade e mecanismo, desde os neurônios sensitivos até as células efetoras.
03 – Laríngeo -controla notadamente a respiração e a fonação.
04 – Cardíaco – dirige a emotovidade e a circulação das forças de base.
05 – Esplênico – determina as atividades em que se exprime o sistema hemático, dentro das variações de meio e volume sanguíneo.
06 – Gástrico – responsabiliza-se pela digestão e absorção dos alimentos densos ou menos densos que, de qualquer modo, representam concentrados fluídicos penetrando-os a organização.
07 – Genésico – guiando a modelagem de novas formas entre os homens ou o estabelecimento de estímulos criadores, com vistas ao trabalho, à associação e à realização entre as almas.

Fonte:(Trabalho de pesquisa elaborado pelo Departamento de Orientação Mediúnica da AME/BH).