#htmlcaption1 Deus, força e luz O evangelho ensinado e vivenciado ha 99 anos

sábado, 21 de julho de 2018

Psicografia recebida de Alarico da Cunha por Rosário Brasil


Resultado de imagem para alarico da cunha





quarta-feira, 18 de julho de 2018

Comemoração do centenário do C E Perseverança no bem/ Parnaíba - Piaui.

Abertura das comemorações do centenário do Centro Espirita Perseverança no bem da cidade de Parnaíba- Piaui.

 O musico Josilton encantando com seu talento

A prece de abertura foi proferida pela nossa irma bela e amada Roselane com toda sua sensibilidade proferiu uma prece que tocou profundamente a todos que estavam na plateia.


A presença do presidente da FEPI Sr. José Lucimar
Presidente da UME Sr. Samuel Aguiar
Presidente do C E Perseverança no bem Antonio Ribeiro.

 Antonio Ribeiro fez a abertura das comemorações do centenario e no seu discurso relembrou-nos de alguns de seus trabalhadores que ja passaram pelo " C E Perseverança no bem" e deram sua contribuição, como Sr. Luiz e a familia de Clauder Ciarlini.

 A família Brito, Graça Brito, Deusdedthi e José Brito com sua matriarca D. Zeneide que foram lindamente homenageados pelos mais de 60 anos sendo guardiães desta casa Santa.
 A conversa fraterna ficou por conta dos palestrantes, Adalberto Baquit de Fortaleza e Raul Ventura de Teresina ambos debateram sobre o livro "A Gênese" de Allan Kardec que este ano comemora 160 anos de contribuição ao espiritismo.

Rosário Brasil nossa trabalhadora há mais de 40 anos na cassa (a professorinha) como é carinhosamente chamada pela espiritualidade.

Nossa porta, nossos braços e olhos entre a espiritualidade e a nós da casa, sempre nos trazendo mensagens psicografadas de grande relevância para a casa e para a humanidade, discreta e disciplinada D. Rosário nos presenteou com uma linda mensagem psicografada recebida por ela de Alarico da Cunha.

Antes de iniciar seu trabalho quando vai receber uma psicografia ela tem todo uma preparação e códigos, a mim (Ana Catharina) já descrito pela mesma que já me depositou seu trabalho e sua confiança. Tenho no acervo do centro espirita perseverança no bem mais de sete cadernos/agendas onde ela como boa professora que é, guardou suas psicografias mas não foram ainda autorizadas pela espiritualidade para serem expostas, são verdadeiras obras primas e de grande relevância para as pessoas que buscam conhecimento e aprendizado entre os dois mundos.

Existe entra ela e seu mentor uma seriedade e disciplina muito grande para não se enganar  e nem muito menos enganar os que dela depositam toda sua credibilidade, fé e dor.
AMANHA SERÁ POSTADO A PSICOGRAFIA DE ALARICO DA CUNHA.
















No encerramento a prece feita por Ana Catharina Pessoa que esta nesta casa Santa como a (4ª) quarta geração de sua família que frequenta esta casa Santa, ela que é Bisneta de Augusto Pessoa, este foi bibliotecário do C E Perseverança no bem, depois seu Avô José Pessoa seguido pelo seu pai Jose Augusto Pessoa, agora ela que já leva sua filha (5ª) geração, Maria Beatriz de 10 anos.

Ana Catharina que está com vice-presidente do Perseverança fez uma breve passagem de volta aos tempos em que não foi tão fácil ser espirita há cem aanos atras e que essa nova geração olhasse com carinho, com respeito e cuidado com o que estão fazendo com o consolador prometido.

Lembrou que em 1937 era proibido por lei qualquer manifestação espirita e culto mediúnico no Brasil, falou das perseguições aos médiuns e a Doutrina.

Para concluir pediu para honrar a esses grandes homens que construirão essa doutrina a custa de suor lagrima e vidas, que sejam lembrados não com loros, perfumarias ou purpurinas, ate porque eles não gostariam preferem que sejam lembrados praticando a caridade, o amor e paz afinal essa doutrina que tem como representantes JESUS E CHICO XAVIER não convêm "perfumaria e purpurinas" precisamos e ficamos cem anos de portas abertas e ficaremos mais cem anos se Deus nos permitir para ajudar, ensinar e abrigar a qualquer filho de Deus que dela precisar como disse Alarico da Cunha na sua psicografia "sem olhar a quem" a porta é estreita e assim deve ser já disse o mestre Jesus para que só entre por ela os que realmente a mereçam.

assim seja

Ana Catharina Pessôa.






A angústia está te fazendo refém?

angústia
CHICO DE MINAS XAVIER | Irmão Luz

A maioria dos problemas somos nós que criamos, principalmente pela nossa falta de paciência.

Sem paciência, tendemos a cortar caminhos, o que provoca dissabores de toda sorte.

Não desanime, você vai vencer!
A causa da depressão está no espírito?
A vida precisa seguir seu curso natural. Cada instante é um aprendizado profundo e nós, simplesmente, estamos passando por cima disso, meus filhos.

Por quê? Responda essa questão olhando para dentro de si mesmo por um minuto.

Esse grito de socorro que seu corpo e sua alma dá agora quer dizer o quê?

Você não estaria competindo, mesmo de maneira inconsciente, em ter igual ou mais que alguém?
Não estaria tentando atender padrões insaciáveis da mídia, enquanto quem é feliz de verdade vive com tão pouco materialmente e com a maturidade sadia de não condicionar a sua felicidade ao externo, pessoas e situações?
Onde deseja chegar com tanta pressa, sem esperar seus próprios passos seguir o curso da vida?
Pense e reflita. Um minuto. Apenas um minuto.
Questione-se.
Abraço fraterno do Irmão Luz.

Como superar as adversidades e insucessos da vida?

depressão
JOANNA DE ÂNGELIS | Divaldo Franco
Todos nos encontramos sujeitos ao que se convencionou chamar adversidade.
Uma tragédia, uma ocorrência marcante pela dor que produz, um acontecimento nefasto, a perda de uma pessoa querida, constituem infortúnios que maceram.
Prejuízos financeiros, danos morais, enfermidades catalogadas como irreversíveis, são adversidades desastrosas em muitas existências.
No entanto, se fosse encarada a vida sob o ponto de vista espiritual, o homem compreenderia a razão de tais insucessos e não se entregaria a desastres mais graves, quais a loucura e o suicídio, a fuga pelo álcool ou pelos tóxicos…
A existência física não transcorre qual nau sem rumo em mar encapelado.
Os atos anteriores e a conduta atual são ­lhe mapa e rota para chegar ao destino pelo qual o indivíduo opta.
Realmente desastrosos são os males que se praticam em relação ao próximo, pois que eles irão fomentar as adversidades de amanhã, que são os inadiáveis resgates do infrator.
Trabalha para te impedires infortúnios, especialmente os atuais, que defluem da insensatez, da malversação de valores, da malquerença. Entretanto, se fores colhido por insucesso de qualquer natureza ou algum sinistro, assume um comportamento de equilíbrio e enfrenta­ os com serenidade.
Tudo passa, às vezes, mais rápido do que se espera.
Contorna os danos causados e, se estiveres ferido no sentimento, confia no tempo, que te pensará a chaga, ajudando -te a sair do embate mais forte e com visão mais clara a respeito da vida.
Em qualquer circunstância, projeta-­te mentalmente na direção do amanhã, vendo­-te feliz como gostarás de estar.
Com essa imagem positiva avança, superando o primeiro momento inditoso e o próximo, passo a passo, e te surpreenderás vitorioso, no alvo almejado.

terça-feira, 17 de julho de 2018

atendimento fraterno hoje terça-feira com Tupyara,


segunda-feira, 16 de julho de 2018

Mensagem de André Luiz para você começar a semana

andré luiz e chico xavier
ANDRÉ LUIZ | Chico Xavier
Quando você se observar, à beira do desânimo, acelere o passo para frente, proibindo-se parar.
Ore, pedindo a Deus mais luz para vencer as sombras.
Faça algo de bom, além do cansaço em que se veja.
Leia uma página edificante, que lhe auxilie o raciocínio na mudança construtiva de idéias.
Tente contato de pessoas, cuja conversação lhe melhore o clima espiritual.
Procure um ambiente, no qual lhe seja possível ouvir palavras e instruções que lhe enobreçam os pensamentos.
Preste um favor, especialmente aquele favor que você esteja adiando.
Visite um enfermo, buscando reconforto naqueles que atravessam dificuldades maiores que as suas.
Atenda às tarefas imediatas que esperam por você e que lhe impeçam qualquer demora nas nuvens do desalento.
Guarde a convicção de que todos estamos caminhando para adiante, através de problemas e lutas, na aquisição de experiência, e de que a vida concorda com as pausas de refazimento das nossas forças, mas não se acomoda com a inércia em momento algum.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Não cai uma folha da árvore se não for a vontade de Deus. Esta frase está no Evangelho de Jesus?

Uma frase famosa que escutamos com frequência de oradores espíritas e religiosos em geral, faz-nos refletir sobre o Novo e o Velho Testamento, seus textos e contextos.
E a dúvida que fica é se, realmente, está escrito na Bíblia a frase “não cai uma folha sequer de uma árvore sem a permissão de Deus”.
Não é um questionamento atual, vem de tempos atrás.
No Evangelho de Jesus definitivamente não está. Pelo menos nenhum evangelista a anotou.
Existem, no entanto, no Velho Testamento, algumas passagens sobre uma possível referência à propositura acima, nenhuma literal.
Mesmo que o argumento seja o contexto de Isaías capítulo 40,12-31, que nos apresenta Deus soberano, que possui domínio sobre o universo e faz tudo aquilo que deseja realizar, não podemos asseverar que a referida frase faz parte dos textos bíblicos de forma concreta e interpretativa.
O único lugar que encontramos essa frase, não literalmente, é no Alcorão – o livro sagrado dos mulçumanos. Vejamos:
“Ele possui as chaves do incognoscível, coisa que ninguém, além d’Ele, possui; Ele sabe o que há na terra e no mar; e não cai uma folha (da árvore) sem que Ele disso tenha ciência; não há um só grão, no seio da terra, ou nada verde, ou seco, que não esteja registrado no livro lúcido.” (6ª Surata, versículo 59).
Observe que o texto acima diz que Deus tem ciência da sua criação, pois tem conhecimento quando uma folha cai. Mas não fala em permissão de Deus para que ela caia.
A Onisciência é um atributo de Deus, considerando que Ele possui todas as qualidades em estado infinito.
Por definição, ser onisciente é deter todo o saber, saber tudo que acontece, incluindo pensamentos, sentimentos, vida, passado, presente, futuro e todo universo.
A nosso ver, essa frase de cunho público, mas que não tem base original nos Evangelhos, pode possuir duas interpretações, uma correta e outra não:
Interpretação Correta: Deus é Onisciente, isto é, Ele tem o saber absoluto de tudo. Tem conhecimento infinito sobre todas as coisas, possui ciência total daquilo que ocorre na Sua criação, sabe de tudo o que acontece, porque está presente em tudo.
Interpretação Errada: Todos os acontecimentos estariam programados por Deus e nada aconteceria sem a Sua Vontade. Nesse caso haveria um determinismo para tudo. Trata-se de interpretação equivocada, pois estaríamos atribuindo a Deus todos os acontecimentos humanos, bons e ruins. Deus seria o grande responsável por todo Bem, mas também pelo sofrimento e mal que existem no mundo.
Considerando verdadeira essa última tese, nos eximiríamos de qualquer responsabilidade por nossos atos, afinal de contas, tudo já havia sido programado por Deus, até a nossa própria queda.
Fernando Rossit

Provas e expiações





Os astros existentes no Universo abrigam Espíritos encarnados e desencarnados reunidos conforme as suas aptidões ou tendências, ou seja, segundo o seu nível médio de evolução.
As leis divinas reúnem nos orbes àqueles em estágio semelhante de progresso, há algumas exceções de Espíritos acima e abaixo desta média, mas a grande maioria possui traços de personalidade ou de caráter bem próximos, assim, cada mundo tem estudantes, se quisermos ver os planetas como escolas, precisando aprender basicamente as mesmas lições, matérias comuns, vindo daí a classificação didática dos mundos proposta por Allan Kardec em cinco grandes grupos: primitivos; expiações e provas; regeneração; ditosos ou felizes e celestes ou divinos. O nosso globo ainda se enquadra na segunda categoria, encontrando-se na condição de mundo de provas e expiações, em vias de atingir o terceiro nível: regeneração.
As ferramentas criadas por Deus proporcionando o nosso avanço moral e intelectual, são as provas e expiações, estas permitem atingir a condição de puros Espíritos, meta fatal de todas as entidades criadas por Deus.
Estes mecanismos são de incontáveis modalidades, pois é incomensurável o campo do aprendizado, várias virtudes, inumeráveis ciências e todas, sem exceção, uma vez dominadas, nos permitirão contribuir em futuro distante na própria obra celeste.
Em poucas linhas, imaginemos ser o nosso sistema de ensino organizado da mesma forma estruturada por Deus. O estudante, por exemplo, estudaria álgebra por conta própria, compraria livros, tiraria dúvidas através de consultas variadas e em determinado momento, fortalecido e confiante por este conhecimento obtido através de seus próprios esforços, proporia ao professor uma verificação de aprendizado nesta matéria. O instrutor então agendaria um dia para o aprendiz fazer um teste de álgebra: eis a prova na lei de Deus, sendo o dia de exame correspondente à própria vida.
Por outro lado, sempre que o educando não se conduzir bem em seu longo processo de aprendizado, criando dificuldades ao seu próximo e a si mesmo, provocando prejuízos morais ou materiais a outrem, sem se preocupar em ressarcir aquilo que foi lesado de terceiros e de si mesmo, a lei impõe a este estudante, de uma forma ou de outra, a restituição do que foi subtraído da economia moral e mesmo material de sua comunidade: eis a expiação.
Vemos deste modo, por qual razão existem tantos contratempos em nossas vidas caracterizando esta pequena porção da Humanidade universal, pois Espíritos chegados ao reino hominal, existem aos “zilhões”. Deus não cessa a criação de Espíritos, os habitantes do planeta Terra representam ínfima porção dos Espíritos existentes no Universo.
Somos uma massa de alunos rebeldes às leis divinas, agrupados neste orbe, precisando de muito trabalho e boa vivência moral para superar as dificuldades características do planeta, submetidos ainda a muitas verificações e variadas penas.
Contudo, com perseverança, dedicação, persistência, paciência, resignação, apenas para citar algumas virtudes pouco vivenciadas pelos estudantes da escola Terra, poderemos cobrir a multidão de pecados cometidos ao longo de nossas muitas existências passadas, ajudando a promover o nosso planeta ao próximo estágio de evolução, ou seja, regeneração.
Desta forma, a vida mudará, a alegria se fará mais presente, as doenças irão se tornando raras, as desigualdades sociais serão gradativamente extintas, o porvir se apresentará promissor, novas luzes surgirão, haverá gosto maior pela existência e tudo depende de nós, assim, prossigamos, não esmoreçamos, o amanhã nos aguarda, sendo este radiante futuro a maior esperança para todos nós alunos da escola Terra.

Rogério Miguez

Que nos importa? Isso é contigo.

Que nos importa?  Isso é contigo. (1)
Eu juro por mim mesmo, disse Senhor Deus, que não quero a morte do ímpio, mas quero que o ímpio se converta, que deixe o seu mau caminho, e que viva.  (2)
Pensar a natureza do homem, do instinto a responsabilidade, tem sido um grande desafio àqueles que se debruçam sobre a evolução nos seus aspectos físicos, psíquicos, morais, emocionais, intelectuais e culturais. Ao longo da evolução hominal nos deparamos com um ser milenar que fora capaz de alterar não só a anatomia física, mas toda a anatomia social, a fim de ajustar-se e adaptar-se aos dispositivos evolutivos legítimos.
O homem, nos primórdios da história, um ser primitivo, animado, pensante passa a utilizar o raciocínio, ainda que instintivo, para grandes e profundas transformações no seu habitat. Consequentemente é ativada outras potencialidades do espírito que passa a se servir das percepções e consciência para tornar-se mais livre e senhor das ações que modificariam suas relações com o meio, com o semelhante e consigo mesmo.
Avançando milhares de anos nesse processo, que foi e continua sendo vagaroso, encontramos o homem do Século 21, que usa a razão para tomar decisões, que se serve da inteligência para evoluir em variados aspectos, porém, que tem se acomodado diante da responsabilidade de se servir do seu próprio entendimento para resolver seus pungentes conflitos existenciais. 
Mergulhados no abissal oceânico de conflitos, provas e expiações, o homem contemporâneo angustia-se, sofre, deprime-se e nega por desconhecimento a possibilidade de uma vida venturosa após a experiência física. O coração de muitos começa a esfriar, porque a iniquidade reprime a esperança. O evangelista Mateus ilustrou “e, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará.” (3)
A descrença nos valores da vida estuante é palpável. É visível. É triste, porém! O atlas da violência atualizado (2018) registra o número estarrecedor de 62 mil homicídios por ano no Brasil, país onde se difunde em abundância a literatura espírita. Segundo o Sistema de Informações sobre Mortalidade, do Ministério da Saúde (SIM/MS), em 2016 houve 62.517 homicídios no Brasil. Isso implica dizer que, pela primeira vez na história, o país superou o patamar de trinta mortes por 100 mil habitantes. (4)
A violência é o mal do século, entretanto os homens, os seres inteligentes da criação, precisam acionar o “mecanismo da coragem” e avançar para que suas ações minimizem o impacto negativo das sombras que vigoram em cada um. A banalização do mal é a representação diáfana de uma sociedade moralmente despedaçada. O egoísmo, o orgulho, a insensibilidade são as metáteses que corroem o organismo social. 
O auto fascínio tem gerado o narcisismo e vai isolando o homem hodierno, remetendo-o para as cavernas pré-históricas das relações afetivas. Razão pelo qual, é indispensável a prática do amor consoante nos apresenta Jesus: “Eu vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros. Como eu vos amei, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros,” (5).
O que deve ser improvisado diante da panorâmica tão penosa de apatias que se instalou nos corações do homem?
O Espiritismo no seu tríplice aspecto: filosófico, científico e religioso é o caminho mais esperançoso e consolador que podemos trilhar, para reverter o quadro fúnebre que se apresenta. A Educação para o homem integral, em sua tríade, é o mais importante caminho na construção de uma convivência social mais amorosa. 
Tendo como referência tal perspectiva, o Espírito Emmanuel elucida: Podemos tomar o Espiritismo, simbolizado […] como um triângulo de forças espirituais. A Ciência e a Filosofia vinculam à Terra essa figura simbólica, porém, a Religião é o ângulo divino que a liga ao céu.” (6)
Portanto, atentemos para recomendação de Allan Kardec: “quem deseje tornar-se versado numa ciência tem que a estudar metodicamente, começando pelo princípio e acompanhando o encadeamento e o desenvolvimento das ideias.” (7) Estudar, meditar e compreender para que a intervenção seja pontual e segura.  A ciência que pretendemos dominar é a ciência do bem viver, de integrar-nos ao pensamento divino, de extinguir as sombras que jaz em nós.
O véu da ilusão e a cortina do engano tem impedido muitos homens de contemplarem sua verdadeira natureza: espiritual e coletiva. A queda de um só homem interfere o todo, porém continuamos a repetir como os fariseus e sacerdotes do passado: “Que nos importa? Isso é contigo.” (8) A tragédia do gólgota continua contemporânea.
Responsabilizemo-nos uns pelos outros, adotemos a coragem, sim a “coragem” que significa agir com o coração, e sermos bons e úteis ao Criador e aguardemos dias melhores, pois o homem atual continua sua marcha ascensional do instinto à autorresponsabilização dos atos. Tempos advirão em que caminharemos com a necessária lucidez consciencial ante o inevitável destino de plena felicidade espiritual.
Jane Maiolo