#htmlcaption1 Deus, força e luz O evangelho ensinado e vivenciado ha 99 anos

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

O poder do afeto

Resultado de imagem para ao inves da força o afeto
A falta de tato para resolver conflitos e tratar de assuntos com pessoas que têm idéias opostas tem sido responsável por muitos desentendimentos e dissabores nos relacionamentos.
Por vezes, um problema que poderia ser facilmente resolvido, cria sérios rompimentos por causa da falta de jeito dos antagonistas.
O afeto, usado com sabedoria é uma ferramenta poderosa, mas pouco usada pela maioria dos indivíduos.
O mais comum tem sido a violência, a agressividade, a intolerância.
Existem pessoas que não gostam de mostrar sua intimidade e se escondem sob um véu de sisudez, com ares de poucos amigos, na tentativa de evitar aproximações que deixem expostas suas fragilidades.
São como os caramujos, os tatus, as tartarugas e outros semelhantes.
Ao se sentirem ameaçados, escondem-se em suas carapaças naturais, e não deixam à mostra nenhuma de suas partes vulneráveis.
A propósito, você já tentou alguma vez retirar, à força, de seu esconderijo, um desses animaizinhos?
Seria uma tentativa fracassada, a menos que você não se importe em dilacerar o corpo do seu oponente.
No caso da tartaruga, por exemplo, quanto mais você tentar, com violência, retirá-la do casco, mais ela irá se encolher para sobreviver.
Mas, se você a colocar num lugar aconchegante, caloroso, que inspire confiança, ela sairá naturalmente.
Assim também acontece com os seres humanos. Se, em vez da força, se usar o afeto, o aconchego, a ternura, a pessoa naturalmente de desarma e se deixa envolver.
Às vezes a pessoa chega prevenida contra tudo e contra todos e se desarma ao simples contato com um sorriso franco ou um abraço afetuoso.
Mas, se ao invés disso encontra pessoas também predispostas à agressão, ao conflito, as coisas ficam ainda piores.
Como a convivência com outros indivíduos é uma realidade da qual não podemos fugir, precisamos aprender a lidar uns com os outros com sabedoria e sem desgastes.
A força nunca foi e nunca será a melhor alternativa, além de causar sérios prejuízos à vida de relação.
Portanto, criar relacionamentos harmônicos é uma arte que precisa ser cultivada e levada a sério.
Mas para isso é preciso que ao menos uma das partes o queira e o faça.
E se uma das partes quiser, por mais que a outra esteja revestida de uma proteção semelhante a de um porco-espinho, ninguém sairá ferido e o relacionamento terá êxito.
Basta lembrar dessa regra bem simples, mas eficaz: em vez da força, o afeto. E tudo se resolve sem desgastes.
*   *   *
De tudo o que fazemos na vida ficam apenas algumas lições:
A certeza de que estamos todos em processo de aprendizagem...
A convicção de que precisamos uns dos outros...
A certeza de que não podemos deter o passo...
A confiança no poder de renovação do ser humano.
Portanto, devemos aproveitar as adversidades para cultivar virtudes.
Fazer dos tropeços um passo de dança.
Do medo um desafio.
Dos opositores, amigos.
E retirar, de todas as circunstâncias, lições para ser feliz.
Redação do Momento Espírita.
Disponível no CD Momento Espírita, v. 10, ed. Fep.
Em 11.05.2009.

Você se casou na hora certa?

briga de casal
CHICO DE MINAS XAVIER | Irmão Luz
Minha filha, meu filho, o casamento ou qualquer um dos vários tipos de união estável que conhecemos atualmente ocorreram, ocorrem e ocorrerão para o nosso aprendizado interior.
Não existe hora errada em momento algum da vida, mesmo que depois de um tempo tenha se percebido uma visão diferente da época da união amorosa – não se culpe, você usou sua maturidade da época.
Cada época da vida representa um ciclo que tivemos determinado conhecimento para lidar e decidir. Não se julgue com o conhecimento de hoje pelas atitudes do passado.
O campo amoroso é tão delicado que é capaz de nos proporcionar profundas dores na alma, só curadas com amor próprio.

Nenhum relacionamento é de todo equilibrado – de acordo com a maturidade interior, cada parte da relação se doa de uma maneira e com determinada proporção em cada época do relacionamento.
Por isso, a necessidade de mantermos em paralelo aos sonhos e objetivos do casal, os sonhos particulares que nos proporcionam o fortalecimento interior, fundamental para vivermos a essência do amor, que é e sempre será compartilhado entre as partes.
Reflita.

Você tem dependência emocional?

dependência emocional
Minha filha, meu filho, a dependência emocional ocorre quando esquecemos da gente, quando acreditamos que precisamos de algo ou alguém para sermos felizes ou até mesmo viver.
E o mundo moderno nos possibilita agir dessa forma com as facilidades oferecidas pela indústria do consumo, que acentua nossa tendência de criação familiar de dependência, de obediência.
Cada um de nós carrega, além da carga do próprio espírito em vidas passadas, o resultado de como lidamos com o choque do nosso crescimento com os desafios da infância e juventude na família, na escola, com os amigos.
A maior dependência emocional que percebo hoje durante o atendimento fraterno está na esfera dos relacionamentos, independente do sexo.
Homens e mulheres projetam sua felicidade no parceiro e na parceira de tal forma que se esquecem de si próprios.
E um relacionamento exige doação das duas partes por um bem comum. Com desequilíbrio emocional de um dos lados, essa parte passa a sugar da outra parte uma energia que pode culminar com o fim do relacionamento.
Devemos tratar isso com alta dose de amor próprio, voltando a alimentar nossos sonhos pessoais.
Reflita.
Abraço fraterno do Irmão Luz.

Qual o melhor centro espírita?

centro espírita
Minha filha, meu filho, devemos frequentar semanalmente onde nos sentimos bem, independente de ser ou não um centro espírita. Muitos irmãos, e reconhecemos isso, terão o seu despertar interior através de outras crenças e religiões.
Não estamos nesse atendimento fraterno para ganhar seguidores, competindo com outras vertentes de pensamentos. A Doutrina Espírita existe para esclarecer sobre a Espiritualidade e auxiliar na iluminação que precisa partir de cada um.
O melhor centro espírita, meus filhos que seguem o Kardecismo, é o que possui o atendimento fraterno, a sala de passe, as palestras, o estudo mediúnico, o trabalho voluntário e de maneira alguma cobrar para ser frequentado.
As campanhas de arrecadação para manutenção do espaço e doações devem ser espontâneas. Essa é a parte básica do trabalho sério.

O restante, a nossa vibração vai identificar. Já imaginou se as energias de todos se identificassem com apenas tal centro espírita? Quantas mil pessoas estariam em um só lugar?
Cada centro espírita possui uma egrégora, uma espécie de esfera energética, e nosso ser se identifica mais com uma, menos com outra.
Por isso precisamos sempre conhecer dois, três centros para identificar qual gostamos mais. E não tenha medo de mudar se o seu coração assim pedir.
Reflita.
Abraço fraterno do Irmão Luz.


 
Deixa que a bênção de Deus te ilumine o coração para que saibas abençoar.
Ninguém prescinde do amor para viver.

Observa os que marcham, desdenhosos, ignorando-te a presença, habituados à convicção de que o ouro pode comprar a felicidade.
Abençoa-os e passa.
Ninguém conhece o rochedo em que o barco da ilusão lhes infligirá o derradeiro travo de angústia.

Vês, inquieto, os que se desmandam no poder. 
Abençoa-os e passa.
Muitos deles simplesmente arrastam as paixões que os arrastarão para o gelo do ostracismo ou para a cinza do esquecimento.

Contemplas, espantado, os que são portadores de títulos preciosos, a te exigirem considerações e tributos especiais.
Abençoa-os e passa.
O tempo cobrar-lhes-á aflitivo imposto da alma pelas distinções que lhes conferiu.

Ouves, triste, os que injuriam e amaldiçoam.
Abençoa-os e passa.
São eles tão infelizes que ainda não podem assinalar as próprias fraquezas.

Fitas, admirado, os que fazem tábua rasa dos mais altos deveres para desfrutarem prazeres loucos, enquanto a vitalidade lhes robustece o corpo jovem.
Abençoa-os e passa.
Amanhã, surgirão acordados, em mais elevado nível de entendimento.

Se alguém te fere, abençoa.
E se esse mesmo alguém volta a ferir-te, abençoa outra vez.
Não te prevaleças da crueldade para mostrar a justiça, porque a justiça integral é de Deus e todos viverão para conhecê-la.

Se teu filho é rebelde e insensato, abençoa teu filho, porque teu filho viverá.
Se teus pais são irresponsáveis e desumanos, abençoa teus pais, porque teus pais viverão.
Se o companheiro aparece ingrato e desleal, abençoa teu companheiro, porque continuará ele vinculado à existência.
Se há quem te calunia ou persegue, abençoa os que perseguem e caluniam, porque todos eles viverão.
Humilhado, batido, esquecido ou insultado, abençoa sempre.
Basta a vida para retificar os erros da consciência.
Inquirido, certa vez, pelo Apóstolo quanto ao comportamento que lhe cabia perante a ofensa, afirmou Jesus:
— "Perdoarás não sete vezes mas setenta vezes sete."

Com isso o Divino Mestre desejava dizer que ninguém precisa vingar-se, porque o autor de qualquer crueldade tê-la-á como fogo nas próprias mãos.
EMMANUEL
Reunião pública de 21/9/59, Questão nº 752 
A Religião dos Espíritos, FCXavier, FEB
NOTA: O link abaixo contém a relação de livros publicados por Chico Xavier e suas respectivas editoras:
http://www.institutoandreluiz.org/chicoxavier_rel_livros.html

É mediunidade ou estou doente?

mediunidade
CHICO DE MINAS XAVIER | Irmão Luz
Minha filha, meu filho, por vezes a mediunidade pode ser confundida com algum transtorno mental ou psicológico, mas essa questão deve sempre ser analisada pela medicina.
Todos somos médiuns e temos percepções do mundo espiritual que nos rodeia, inclusive quem apresenta enfermidades mentais e emocionais.
A Doutrina Espírita sugere que o estudo e desenvolvimento mediúnico só ocorra em momentos de saúde plena, justamente para não atrapalhar no diagnóstico e tratamento médico.
Todavia a presença semanal na casa espírita para assistir palestra, tomar passe e beber água fluidificada se faz salutar para o nosso refazimento.
A medicina tem a absoluta condição de diagnosticar enfermidades, que podem nos confundir com mediunidade, para que possamos lidar com lucidez com essa questão.
Nem tudo é espiritual e nem tudo é físico, mental e emocional. O ser precisa ser visto de maneira integral, é verdade, todavia nenhum médium pode diagnosticar tal pessoa como enferma da alma, fruto da mediunidade.
Registramos aqui nosso total apoio e confiança no trabalho da medicina, sem deixar de nos reconhecermos necessitados dos médicos do céu e da terra.
Reflita.
Abraço fraterno do Irmão Luz.

Os girassóis

Resultado de imagem para girassol momento espirita
Você já viu um girassol?
Trata-se de uma flor amarela, muito grande, que gira sempre em busca do sol. E é por essa razão que é, popularmente, chamada de girassol.
Quando uma pequena e frágil semente dessa flor brota em meio a outras plantas, procura imediatamente a luz solar.
É como se soubesse, instintivamente, que a claridade e o calor do sol lhe possibilitarão a vida.
E o que aconteceria à flor se a colocássemos em uma redoma bem fechada e escura?
Certamente, em pouco tempo, ela morreria.
*   *   *
Assim como os girassóis, nosso corpo físico também necessita da luz e do calor solar, da chuva e da brisa, para nos manter vivos.
Mas não é só o corpo físico que precisa de cuidados para prosseguir firme. O Espírito igualmente necessita da Luz Divina para manter acesa a chama da esperança.
Precisa do calor do afeto, da brisa da amizade, da chuva de bênçãos que vem do alto.
Todavia, é necessário que façamos esforços para respirar o ar puro, acima das circunstâncias desagradáveis que nos envolvem.
Muitos de nós permitimos que os vícios abafem a nossa vontade de buscar a luz, e definhamos dia a dia como uma planta mirrada e sem vida.
Ou, então, nos deixamos enredar nos cipoais da preguiça e do desânimo e ficamos a reclamar da sorte, sem fazer esforços para sair da situação que nos desagrada.
É preciso compreender os objetivos traçados por Deus para a elevação de Seus filhos, que somos todos nós.
E para que possamos crescer, de acordo com os planos divinos, o Criador coloca à nossa disposição tudo o de que necessitamos.
É o amparo da família, que nos oferece sustentação e segurança em todas as horas...
A presença dos amigos nos momentos de alegria ou de tristeza a nos amparar os passos e a nos impulsionar para a frente.
São as possibilidades de aprendizado, que surgem a cada instante da caminhada, tornando-nos mais esclarecidos e preparados para decidir qual o melhor caminho a tomar.
Mas, o que acontece conosco quando nos fechamos na redoma escura da depressão ou da melancolia e assim permanecemos por vontade própria?
É possível que, em pouco tempo, nossas forças esmoreçam e não nos permitam, sequer, gritar por socorro.
Por essa razão, devemos entender que Deus tem um plano de felicidade para cada um de nós e que, para alcançá-lo, é preciso buscar os recursos disponíveis.
É preciso imitar os girassóis. Buscar sempre a luz, mesmo que as trevas insistam em nos envolver.
É preciso buscar o apoio da família, nos momentos em que nos sentimos fraquejar.
É preciso rogar o socorro dos verdadeiros amigos quando sentimos as nossas forças enfraquecendo.
É preciso, acima de tudo, buscar a Luz Divina que consola e esclarece, ampara e anima em todas as situações.
*   *   *
Quando as nuvens negras dos pensamentos tormentosos cobrirem com escuro véu o horizonte de tuas esperanças, e o convite da depressão rondar-te a alma, imita os girassóis e busca respirar o ar puro, acima das circunstâncias desagradáveis.
Quando as dificuldades e os problemas se fizerem insuportáveis, tentando sufocar-te a disposição para a luta, lembra-te dos girassóis e busca a Luz Divina através da oração sincera.
Redação do Momento Espírita utilizando pensamentos finais extraídos do texto do Momento Espírita Na barca do coração, disponível no CD Momento Espírita, v. 3, ed. Fep.
Disponível no CD Momento Espírita, v. 5, ed. Fep.
Em 09.03.2009.

Prece dos aflitos | Conforte seu coração!

oração
Senhor Deus, Pai dos que choram,
Dos tristes, dos oprimidos.
Fortaleza dos vencidos,
Consolo de toda a dor,
Embora a miséria amarga,
Dos prantos de nosso erro,
Deste mundo de desterro,
Clamamos por vosso amor!
Nas aflições do caminho,
Na noite mais tormentosa,
Vossa fonte generosa
É o bem que não secará…
Sois, em tudo, a luz eterna
Da alegria e da bonança
Nossa porta de esperança
Que nunca se fechará.
Quando tudo nos despreza
No mundo da iniqüidade,
Quando vem a tempestade
Sobre as flores da ilusão!
O! Pai, sois a luz divina,
O cântico da certeza,
Vencendo toda aspereza,
Vencendo toda aflição.
No dia de nossa morte,
No abandono ou no tormento,
Trazei-nos o esquecimento
Da sombra, da dor, do mal!…
Que nos últimos instantes,
Sintamos a luz da vida
Renovada e redimida
Na paz ditosa e imortal.
Emmanuel – Francisco C.Xavier
Livro: Paulo E Estevão
Paginas 162 e 163

A depressão na visão do espírito Joanna de Ângelis

tristeza
A depressão tem a sua gênese no Espírito, que reencarna com alta dose de culpa, quando renteando no processo da evolução sob fatores negativos que lhe assinalam a marcha e de que não se resolveu por liberar-se em definitivo.
Com a consciência culpada, sofrendo os gravames que lhe dilaceram a alegria íntima, imprime nas células os elementos que as desconectam, propiciando, em largo prazo, o desencadeamento dessa psicose que domina uma centena de milhões de criaturas na atualidade.
Se desejarmos examinar as causas psicológicas, genéticas e orgânicas, bem estudadas pelas ciências que se encarregam de penetrar o problema, temos que levar em conta o Espírito imortal, gerador dos quadros emocionais e físicos de que necessita, para crescer na direção de Deus.
A depressão instala-se, pouco a pouco, porque as correntes psíquicas desconexas que a desencadeiam, desarticulam, vagarosamente, o equilíbrio mental.
Quando irrompe, exteriorizando-se, dominadora, suas raízes estão fixadas nos painéis da alma rebelde ou receosa de prosseguir nos compromissos redentores abraçados.
Face às suas cáusticas manifestações, a terapia de emergência faz-se imprescindível, embora, os métodos acadêmicos vigentes, pura e simplesmente, não sejam suficientes para erradicá-la.
Permanecendo as ocorrências psicossociais, sócio-econômicas, psico-afetivas, que produzem a ansiedade, certamente se repetirão os distúrbios no comportamento do indivíduo conduzindo a novos estados depressivos.
Abre-te ao amor e combaterás as ocorrências depressivas, movimentando-te, em paz, na área da afetividade, com o pensamento em Deus.
Evita a hora vazia e resguarda-te da sofreguidão pelo excesso de trabalho.
Adestra-te, mentalmente, na resignação diante do que te ocorra de desagradável e não possas mudar.
Quando sitiado pela idéia depressiva alarga o campo de raciocínio e combate o pensamento pessimista.
Açodado pelas reminiscências perniciosas, de contornos imprecisos, sobrepõe as aspirações da luta e age, vencendo o cansaço.
Quem se habilita na ação bem conduzida e dirige o raciocínio com equilíbrio, não tomba nas redes bem urdidas da depressão.
Toda vez que uma idéia prejudicial intentar espraiar-se nas telas do pensamento obnubilando-te a razão, recorre à prece e à polivalência de conceitos, impedindo-lhe a fixação.
Agradecendo a Deus a bênção do renascimento na carne, conscientiza-te da sua utilidade e significação superior, combatendo os receios do passado espiritual, os mecanismos inconscientes de culpa, e produzes com alegria.
Recebendo ou não tratamento especializado sob a orientação de algum facultativo, aprofunda a terapia espiritual e reage, compreendendo que todos os males que infelicitam o homem procedem do Espírito que ele é, no qual se encontram estruturadas as conquistas e as quedas, no largo mecanismo da evolução inevitável.
FRANCO, Divaldo Pereira. Receitas de Paz. Pelo Espírito Joanna de Ângelis. LEAL.

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Alma do Universo







Nem sempre compreendido, interpretado de mil formas por força da cultura e tradições humanas, gradativamente, entendido conforme avança a mentalidade humana, Deus, a inteligência suprema do Universo, causa primeira de todas as coisas, pode ser chamado sem receio de a alma do Universo. Afinal é de sua ação e origem que vivemos, viemos e cá estamos nesse turbilhão de aprendizados.
Antes, numa época de extrema ignorância, foi comparado à mediocridade humana, como se fosse vingativo e possuidor de nossas tolas vaidades e sujeito às nossas intempéries emocionais. Passou o tempo das danças, tambores e homenagens próprias da infância intelectual, veio o Cristo que nos apresentou o Criador como Pai. Ele, o enviado de Deus, ensinou as Leis de Amor, provocou mudanças na história, alterando o calendário em antes e depois Dele, e trouxe mudança de trajetos na evolução humana.
Mais tarde, com a mentalidade humana começando a despertar, começamos a compreender as Leis que nos regem a vida, sabendo-nos responsáveis por nossas ações e que não existe castigo, nem um ser infernal a nos “cutucar” indefinidamente, mas simplesmente consequências de nossas ações. Tornamo-nos mais conscientes e responsáveis. Agora sabemos.
Deus não poderia criar seres para que fossem odiosos e repulsivos. Suas leis são imutáveis e eternas, repletas de amor, justiça e misericórdia. Isso nos faz entender os extremos humanos, as diferenças gritantes que vemos e vivemos em todos os sentidos. Assim como crianças se deliciam com brinquedos, muitos de nós jogamos com essas leis – como se pudéssemos enganar e fazer trocas com a Inteligência Suprema do Universo –, depois reclamamos e nos revoltamos das colheitas que antes foram semeadas. São as consequências. Basta pensarmos no sentido de justiça. Agir bem gera o bem, agir mal gera o mal.
Não deixemos de ter piedade de verdugos e vítimas. Os primeiros, porque se preparam para grandes aflições no futuro, e os segundos porque foram maus semeadores no passado e agora colhem o que plantaram. Isso é apenas consequência, nunca castigo. Como pensar em castigo de um Pai de misericórdia, bondade, justiça e amor incomparáveis?
Deus está acima de nossas misérias e torpezas. Deus é a alma do Universo e não um vigia de nossas criancices.
Por isso, concluo a abordagem com o parágrafo final de texto da notável Amália Domingo Soler, em quem me baseei para elaboração desses parágrafos:
“Adoro a Deus na Natureza, mas não tremo ante sua cólera, nem confio em sua clemência. Deus é justo, é imutável, é eterno, é superior a todas as piedades e a todas as compaixões. Não necessita ser clemente porque é justo, pois suas leis de amor têm que se cumprir e quando se cumpre a lei de Deus, não terá ocaso o dia de felicidade universal”.
Que expressão feliz de Amália: Deus é a alma do Universo! Obrigado, meu Deus! Por sua grandeza, pela presença no Universo, dentro de nós, em tudo que nos rodeia.
Orson Peter Carrara
Nota do Editor:
Imagem em destaque disponível em <https://pixabay.com/pt/michelangelo-abstract-menino-71282/>. Acesso em 11AGO2018.